Menu

No rádio e histórias

A HISTÓRIA ILUSTRADA DE EDUARDO MADEIRA NO RÁDIO

Ouvinte que tornou-se integrante: este é o resumo da história com o 98 Futebol Clube e seu início no Rádio em 2003!

Na 1ª versão do programa (em 2003), Eduardo Madeira estava almoçando em casa quando ouviu o programa recém criado na Rádio 98 FM BH pela 1ª vez. Trabalhava como Supervisor de Televendas (Call Center) do Velox, Internet Banda Larga Oi (Telemar, na época) e seu turno era o da Tarde.

Desde a adolescência, Eduardo Madeira tinha facilidade da imitação e da charge (desenhar). Os amigos insistiam para que ele tentasse carreira na vida artística, mas ele nunca achou que isso colocasse “comida em sua mesa”.

Após ouvir poucas vezes o programa que iniciara, enviou um e-mail aos integrantes elogiando a novidade radiofônica, mas ‘trollando’ a imitação do narrador atleticano Willy Gonser (feita por Guilherme Mello)  e afirmando fazer melhor e deixando seus contatos!

E os picaretas do 98 Futebol Clube (na época formado por Gilbert Campos, Marquinhos Baiano, Guilherme Mello e Wilher Jorge) pagaram para ver e ligaram para o ouvinte marrento! Surpresos com as imitações e rapidez de raciocínio do ouvinte, o convidaram para ir participar ao vivo do programa.

Curioso é que Eduardo Madeira estreou sua carreira no Rádio (exatamente dia 13/10/2003 – tinha que ser TREZE)  logo após uma derrota do seu Atlético contra o rival Cruzeiro, que venceu por 1 a 0, gol do centroavante Mota!

E neste dia da sua estréia, ele gravou a seguinte chamada para o programa diário e surgiu o bordão “Eu sou Eduardo Madeira e olha como eu pareço o Willy Gonser”.

Curioso também é que, por total coincidência, Eduardo Madeira estreava no Rádio no mesmo dia do seu “homenageado” Willy Fritz Gonser: 13 de Outubro (de 2003).

Ouça a abaixo a 1ª chamada de sua carreira. Histórica, pra Eduardo Madeira:

Depois das primeiras participações, o Willy Cover passou a ser visita constante no programa, seja nos feriados, ou em alguns jogos do Atlético, pois a 98 começou a narrar alguns jogos de Altético e Cruzeiro.

A 1ª homenagem de Eduardo Madeira a Willy Gonser aconteceu em 09 de Novembro de 2003. Álvaro Damião comandou na Rádio Itatiaia o “Bola Premiada Especial” de 50 anos de carreira do narrador e deu o privilégio de Eduardo Madeira imitar o homenageado pela 1ª vez!

Exatamente neste mesmo dia 09 de Novembro de 2003, foi o 1º jogo que Eduardo Madeira participou da transmissão da jornada esportiva, o narrador dos jogos era o âncora Gilbert Campos. E foi menos de 1 mês após sua 1ª participação no programa, no jogo que o Galo PERDEU do Internacional por 2 X 1 em pleno Independência, em transmissão direto do estádio.

No 2º jogo que Eduardo Madeira participou na jornada esportiva da 98, foi nos estúdios da 98, Galo 2 X 0 Fortaleza, jogo realizado em Ipatinga, dia 22 de Novembro de 2003.

E veio neste jogo a narração do 1º gol ao vivo narrado por Eduardo Madeira, o 1º e por isso histórico, em mais de 1.000 gols narrados na carreira!

Como o âncora Gilbert Campos narrava, o personagem Padreco pedia para Eduardo Madeira narrar alguns poucos lances. E em nenhum deles o Galo levava perigo. E no fim do jogo, uma falta ao lado da área para o Galo bater. Melhor que um córner, diria Willy Gonser. Lúcio Flávio cruzou na área para cabeçada de Enrico, LÁ DENTRO!

O 1º GOL narrado por Eduardo Madeira em sua carreira, 22 de Novembro de 2003, contra o Fortaleza:

Foi engraçadíssimo que o Padreco (Marquinhos Baiano) e Casão (Guilherme Mello) começaram a zoar o Gilbert Campos, dizendo que Eduardo Madeira era “pé quente” e que ele estava “despedido” como narrador naquele momento! Se ouvem as gargalhadas ao fundo do áudio do gol!

A partir daí, Eduardo Madeira começou a nutrir um sonho quase impossível de realizar: narrar o jogo inteiro (não só alguns momentos) do Galo campeão em um Mineirão lotado, de preferência contra o Flamengo.

Em torno do 2º trimestre de 2004 o 98 Futebol Clube acabou na rádio 98 FM, por desentendimento comercial dos integrantes com a diretoria da época da 98 (que não é mesma que a atual).

Aproximadamente em Novembro 2004, o programa voltou ao ar na Rádio Favela e com uma mudança: Eduardo Madeira passou a ser integrante fixo. Agora com nome de Fanáticos Futebol Clube no programa diário de 18h às 19h. Como Gilbert Campos era locutor da 98, não foi para a Rádio Favela.

E o time passou a ser: Marquinhos Baiano, Guilherme Mello, Wilher Jorge e agora Eduardo Madeira.

O programa não era realizado na própria Rádio Favela, mas no espetacular REC Estúdio, do proprietário Alexandre Martins, um dos maiores incentivadores de nosso projeto.

Foto com Eduardo Madeira entre Alexandre Martins (proprietário) e Eneida Batista (Gerente) no REC Stúdio!

Rec Studio

Pouco mais tarde, o programa ganhou a ancoragem de Bruno Soares (que trabalhava no REC Stúdio) e a presença feminina de Isis Olivia.

Foto de 22 de Dezembro de 2004.

Foto ESPECIAL com Bruno e Isis

Reportagem de 24 de Julho de 2005 de Pedro Blank no jornal “O Tempo”

FANATICOS NA FAVELA - MATERIA JORNAL

No dia 19 de Dezembro de 2004 Eduardo Madeira realizou a primeira narração um jogo inteiro: Atlético 3 X 0 São Caetano. Jogo que valia a permanência do Galo na 1ª Divisão!

Desde então, iniciaram-se as transmissões esportivas com narração de Willy Cover (Eduardo Madeira) e Albertinho Lombriga (Guilherme Mello), na Rádio Favela.

Não se fazia todos os jogos de Galo e Raposa, mas sim escolhia-se alguns jogos. E INOVARAM na transmissão de futebol pelo Rádio com 2 narradores no jogo.

Quando o jogo era Galo X Grêmio, por exemplo, Willy Cover (Eduardo Madeira) narrava o Galo e Albertinho Lombriga (Guilherme Mello) narrava o Grêmio, torcendo descaradamente na narração para quem enfrentava o Galo.

E vice versa. E foi assim que Eduardo Madeira narrou como Willy Cover o título do Ipatinga frente ao favorito Cruzeiro na Final do Campeonato Mineiro de 2005. Ouça abaixo:

E Eduardo Madeira tbm narrou a classificação surpreendente do Paulista de Jundiaí sobre a Raposa no Mineirão pela Copa do Brasil de 2005. A Raposa ganhava no 1º tempo fácil por 3 a 0.

E tomou um gol de Falta de Christian, hoje meio campo do Corinthians.

Passado 1 minuto, uma falta no mesmo local e de novo Christian marcou gol o 2º gol do Paulista e a desclassificação da Raposa!

Destaque da frase “o raio não cai duas vezes no mesmo lugar” e do repórter Bruno Soares que abandonou a jornada esportiva (levantou e foi embora) depois da provocação de Eduardo Madeira, dizendo antes “CALA A BOCA, WILLY GONSER”! Dos momentos mais marcantes na trajetória da trupe!

E a Rádio Transamérica FM Belo Horizonte “comprou o passe” e os Fanáticos saíram da Rádio Favela e foram pra lá!

No dia 07 de Novembro de 2005 os Fanáticos estrearam na Rádio Transamérica FM Belo Horizonte às 18h com a mesma escalação quando na Rádio Favela (Guilherme Mello, Marquinhos Baiano, Wilher Jorge, Eduardo Madeira, Bruno Soares e Isis Olívia). Mas na Transamérica não narravam os jogos, pois a Rádio já tinha sua equipe de Transmissão, comandada por Flávio Anselmo e que contava, entre outros, com o promissor narrador Hugo Sérgio, de estilo e voz semelhante ao Caixa, Mário Henrique da Rádio Itatiaia.

FanaticosFC Transamerica POP

A Rádio Transamérica mudou sua vibe de Hits (Axé, Pagode) para Pop (Dance) e assim fazendo uma péssima jogada, pois teria que concorrer com as consolidadas Jovem Pan e 98 FM.

O programa evoluiu e ganhou âncoras como Bruno Barroso. E setoristas como Ramon Salgado (na Raposa) e Wilson José (no Atlético).

Na Transamérica, os Fanáticos ganharam mais corpo de audiência, apesar da rádio ter feito sua pior jogada estratégica na mudança de Hits para Pop.

Na foto abaixo, Marquinhos Baiano, Bruno Barroso, Eduardo Madeira, Guilherme Mello e Wilher Jorge.

Foto_dos_Fanaticos

Em 2007, os Fanáticos participaram como convidados do Troféu Guará da Rádio Itatiaia. Abaixo, Eduardo Madeira com seu homenageado Willy Gonser, o original.

Willy Gonser - Cover e Original - 2007

Com a rádio adotando estratégia errada, sem boa audiência e sem divulgação “na rua” do Fanáticos Futebol Clube, o programa não “vendia” bem e os Fanáticos decidiram encerrá-lo na Transamérica em 2007, depois de 2 anos naquela Rádio.

Em 2006, durante a Copa do Mundo, nascia a 2ª versão do 98 Futebol Clube na 98 FM BH. Sem nenhum dos integrantes da versão anterior. Apresentado por Antonélio e com os setoristas Igor Assunção (Galo), Pedro Seixas (América), Paulo Franchini (Cruzeiro) e o produtor Mário Alaska, às 20h. O programa não tinha personagens nem transmitia os jogos. Era um programa feito por torcedores e para torcedores. Terminou em 2007.

Em 1 de Fevereiro de 2010 foi reiniciada a 3ª e atual versão do 98 Futebol Clube. Que combinou as 2 versões anteriores na 98. Composto pela ancoragem de Gilbert Campos, os humoristas Marquinhos Baiano e Guilherme Mello, o torcedor-jornalista Igor Assunção do Galo, o torcedor-músico Bauxita da Raposa. E o Produtor e Humorista Mário Alaska. E mais tarde a vencedora do concurso como torcedora representante do América, Natália de Sá ! O Coordenador Artístico da época era Dudu Schektel, o Dudu do Graffite, Dudu Galo Doido!

1ª participação de Eduardo Madeira no 98 FC, em Fevereiro de 2010.

98 FC 23-04-2010

Com a volta do 98 Futebol Clube em 2010, Willy Cover voltou a ser convidado especial e figura constante no programa. E nasceram outros personagens de Eduardo Madeira, como Ricaço Eletro, Zacarias, Tufão e Crô da novela, Governador Anestesia, Ricaço Guimarães, etc!

A 3ª versão reiniciou-se às 20h e depois migrou às 12:30h. E depois às 12h

Abaixo a chamada do novo horário na 98, gravada por Eduardo Madeira

1ª participação da americana Natália de Sá, que veio a vencer o concurso como representante do América, em 2010.

98 Futebol Clubee

Eduardo Madeira foi um dos principais entusiastas da idéia da transmissão esportiva diferente, que mescla humor e informação.

Na verdade, a direção da Rádio não enxergava a transmissão de Futebol combinando Humor e Informação um bom produto.

A idéia se fortaceleu depois que Eduardo Madeira se ofereceu para narrar o jogo 98 X Skank em Dezembro de 2010 numa quadra society de Belo Horizonte. Eduardo Madeira caprichou na narração combinando Humor e Informação neste dia da Festa e convenceu neste dia o Diretor Artistico e um dos donos da 98, Rodrigo Carneiro, que eles seriam capazes de fazer com sucesso, pois já o faziam na Rádio Favela e em eventos particulares!

Foi nesse dia que nasceu a transmissão de Futebol com o formato de hoje na 98! 23 de Dezembro de 2010.

Dudu e Cristiano Jusqueira

Mario Alaska me sacaneando

ESPECIAL - microfone da 98

A 1ª chamada de uma transmissão de jogo no formato atual na 98. A transmissão-piloto entre Galo X América no Campeonato Mineiro de 2011.

E o 1º gol narrado por Eduardo Madeira narrando um jogo inteiro na 98 foi de Neto Berola. O América venceu de virada por 2 a 1. Com 2 gols do veterano Fábio Junior, acreditem!

Na verdade, desde que foi criado o Willy Cover (em 13/10/2003), Eduardo Madeira criou o SONHO de narrar o jogo do “seu” Atlético na 98 e Campeão de alguma coisa importante (e contra o Flamengo, se possível). E TINHA que ser na 98!

E este SONHO começou a se tornar real. Após o piloto apenas razoável, a 98 resolveu investir e narrar as Finais do Campeonato Mineiro de 2011 entre Galo e Raposa.

Gol de Patric no 1º jogo da Final!

Foto de alguns integrantes na 1ª Final do 98 FC, Mineiro de 2011.

000_0031

O Galo venceu o 1º jogo da Final por 2 a 1. E a jornada esportiva foi um SUCESSO! A repercussão foi enorme.

A equipe do 98 Futebol Clube transmitiu a Finalíssima em que a Raposa venceu o Galo por 2 a 0 e sagrou-se Campeã Mineira 2011. A repercussão foi gigante. De novo!

Diante da enorme repercussão, a 98 decidiu investir nas transmissões de Futebol e narrar alguns jogos do Campeonato Brasileiro.

E no 1º gol narrado por Eduardo Madeira em seu 1º jogo de Campeonato Brasileiro na 98 em 2011, ele NÃO VIU O GOL! Sim! Isso mesmo! O NARRADOR NÃO VIU O GOL QUE NARROU PARA MILHARES DE PESSOAS!

Como não tinha documentos de imprensa, Madeira narrava dos estúdios da 98. O sinal de TV da Sky saiu do ar e a transmissão rolando solta!

Rapidamente, Eduardo Madeira ligou seu celular e COM UM FONE em um ouvido na Rádio Itatiaia em que o Mário Henrique Caixa narrava e repetia o lance SEM VER aos ouvintes da 98!

Foi assim o gol que Eduardo Madeira narrou SEM TER VISTO, de Toró, 1º do Galo no Brasileiro de 2011, Galo 3 x 0 Furacão! Depois o Sinal da Sky voltou! Ufa!

A 98 narrava alguns jogos do Galo e da Raposa, não todos!

A jornada ia amadurecendo e a novidade da transmissão de futebol combinando INFORMAÇÃO e BOM HUMOR ia se tornando sucesso rapidamente!

A 98 seguiu transmitindo alguns jogos do Campeonato Mineiro em 2012 e mudou o cenário do IBOPE na transmissão esportiva!

Com a reinauguração do Estádio Independência, agora remodelado, a 98 se viu num dilema: ou passava a narrar TODOS os jogos ou não teria cabine Fixa no Estádio!

E assim, em 2012, a 98 passou a narrar TODOS os jogos do Galo e da Raposa!

E o sonho de Eduardo Madeira ganhava um enorme troféu, o credenciamento como Cronista Esportivo – Narrador Esportivo na AMCE. Agora, ele poderia narrar TODOS os jogos DO ESTÁDIO!

AMCE - EDUARDO MADEIRA

Foto na reinauguração do Estádio Independência, o 1º jogo de Eduardo Madeira como Imprensa, em 03/05/2012, Atlético 2 x 1 Goiás, da Cabine. Com Marquinhos Baiano e Paulo Azeredo.

1o jogo no Indepa - 03-05-2012

1º gol de Eduardo Madeira narrado do estádio, nos flashes de Galo 2 X 1 Goiás, de Mancini, de Pênalti.

E narrou seu 1º título, o Campeonato Mineiro 2012 pelo Galo contra o Coelho!

E a reinauguração do Estádio Independência deu outra dimensão à narração que o 98 Futebol Clube passou a transmitir TODOS os jogos de Atlético e Cruzeiro.

A equipe do 98 Futebol tornou-se amuleto do Atlético, com a campanha sensacional do Galo!

Abaixo gol ANTOLÓGICO de Ronaldinho que Madeira apelidou GALUCHO contra o Cruzeiro no Independência!

Narrando todos os jogos de Galo e Raposa, a 98 se consolidou como 2º lugar no IBOPE, chegando a 6 vezes em audiência do 3º colocado, tornando-se fenômeno de audiência!

Em 2013 veio o presente divino à equipe pé quente da 98! O Atlético tornou-se CAMPEÃO da Libertadores!

A defesa de Pênalti do goleiro Victor da 98 por Eduardo Madeira foi uma das mais repercutidas!

E o Galo foi o Campeão da Libertadores com narração de Eduardo Madeira, o mais pé quente dos narradores para um clube! A Narração mais importante da história de Eduardo Madeira, maior troféu de sua vida profissional no Rádio!

Eduardo Madeira foi ainda um dos poucos narradores a narrar um Mundial Interclubes. Que o Atlético, infelizmente, deu vexame contra o Raja Casablanca!

Gol de Ronaldinho Galucho contra o Raja.

Eduardo Madeira teve ainda o privilégio de narrar um jogo ao vivo do estádio da Seleção Brasileira, em 2013, no amistoso Brasil 2 X 2 Chile. Com direito a narração a gol de Neymar!

Falando ainda em Seleção Brasileira, Eduardo Madeira também realizou seu sonho de Narrar um jogo oficial da Seleção Brasileira. E foi logo no maior clássico do mundo: um Brasil X Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, com a Seleção Canarinho aplicando um 3 x 0, fora o chocolate.

Mas o 98 FC na transmissão de Futebol não é pé quente somente para o Galo. A Raposa se sagrou campeã brasileira 2013 com a narração de Albertinho Lombriga (Guilherme Mello).

Ainda em 2013, Eduardo Madeira participou de um programa especial da Web Rádio Galo em homenagem ao Willy Gonser original.

Em 2014, Eduardo Madeira narrou o título da Recopa Sul Americana e o ÉPICO título da Copa do Brasil, com viradas sensacionais contra  Flamengo e Corinthians por 4 x 1 (depois de perder jogos de ida por 2 x 0) e não tomar conhecimento do rival Cruzeiro na Final!

Os gols históricos narrados por Eduardo Madeira estão no menu “Narrações” – “Narrações Históricas”

E criou em sua casa a Galeria de Credenciais, para guardar as credenciais dos jogos históricos que narrou. Sua verdadeira Galeria de Troféus como narrador!

Galeria de Credenciais 1

Em 2015, Eduardo Madeira descobriu seu nome imortalizado no Museu do Futebol no Mineirão.

20150717_164334

O último título atleticano narrado por Eduardo Madeira foi o Campeonato Mineiro 2017. Veja como foi

Até hoje, Eduardo Madeira narrou 8 títulos do Galo em 7 anos de jornada esportiva na 98: Campeonato Mineiro 2012, 2013, 2015 e 2017, Recopa Sul Americana 2014, Copa do Brasil 2014, Libertadores 2013 e Florida Cup 2016. Falta narrar o Galo Bi Campeão Brasileiro e da Libertadores.

E cada fim de semana, a transmissão de humor com informação vai conquistando mais ouvintes! Nas transmissões do Galo, sempre com narração do Eduardo Madeira, LÁ DENTRO das ondas do rádio para a nação 98ense!

Email: contato@ladentromadeira.com.br

Histórias