Menu

MUITO OBRIGADO POR TUDO, WILLY FRITZ GONSER!

MUITO OBRIGADO POR TUDO, WILLY FRITZ GONSER!

Por Eduardo Madeira

22/08/2017

Willy Fritz Gonser tem tanta importância na minha vida que comecei no Rádio no mesmo dia do seu aniversário: 13 de Outubro. Coincidência ou destino?

A primeira vez que fui ao 98 Futebol Clube, em 2003 (lá se vão quase 14 anos), por coincidência, era aniversário do “mais completo narrador esportivo do Brasil”. E nem eu nem a turma do programa sabíamos disso. Saiba mais http://ladentromadeira.com.br/no-radio-e-historias/

O Rádio foi o maior presente que recebi nessa vida. O mais inesperado. O mais especial. E este presente devo a várias pessoas, mas principalmente a Willy Fritz Gonser.

Graças a minha imitação e homenagem, passei a carregar a alcunha de “Willy Cover”. Graças a minha homenagem ao Willy, tornei-me um Narrador Esportivo e ingressei na Imprensa Esportiva. Graças a você, Fritz, passei a Narrar os jogos do time que eu amo! Você imaginou o tamanho do privilégio que eu tenho em narrar, ao vivo, do estádio, os gols e façanhas do time que torço? E podendo dizer abertamente que sou Atleticano? E narrar os jogos com bom humor?

Graças a minha imitação e homenagem conheci gente que tanto admirava, como Dudu Graffite Galo Doido, Euller, Paulo Roberto Prestes, Reinaldo, Éder Aleixo, o narrador Luis Roberto. E passei a ser amigo de gente tão especial, como Lélio Gustavo, Gilbert Campos, Guilherme Mello, Marquinhos Baiano, Fael Lima, Pedro Seixas e tantos outros.

Graças a você, Willy, eu recebi o carinho de muitas pessoas que admirava! Graças a você eu narrei a reconstrução da história do Atlético.

Graças a você, Alemão, eu tive o privilégio de Narrar a nossa libertação na Libertadores. Graças a você, ídolo, eu narrei o exorcismo de Flamengo, Corinthians e Cruzeiro na Copa do Brasil mais épica de todas! Graças a você, Gonser, eu Narrei 8 títulos em 7 anos de transmissão esportiva da 98FM.

Graças a você, eu fui um dos que convenceu o Diretor Rodrigo Carneiro a narrar os jogos na 98FM, combinando emoção, informação, opinião e bom humor e mudando em poucos meses o Ibope da Narração Esportiva em Minas.

Graças a você, mito, passei a ter meu nome no Museu do Mineirão. Passei a figura pública e que aparece na TV e programas de Internet às vezes.

Graças a você, Willy, eu orgulhei minha família Andrade em ter um Narrador-Torcedor, que narra com “toda a nossa raça pra vencer”!

Graças a você eu narrei um Mundial Interclubes e tive a honra de Narrar uma vitória da Seleção Brasileira contra Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, com Messi e Neymar em Campo.

Graças a você, eu consegui encher de orgulho meu pai Milton, que me transmitiu a Atleticanidade e viu por 1 ano minha história o Rádio. Eu imagino a honra e orgulho que meu papai Milton sente, lá de cima, em me ouvir narrando a história da redenção do Atlético.

Graças a você, Willy, eu via o brilho nos olhos da minha mamãe Joana, gravando em fitas cassete cada programa que eu ia, cada Narração. Graças a você eu vi minha mãe prostrada e em depressão no hospital se reerguer e reagir depois de uma visita dos amigos Marquinhos Baiano e Guilherme Mello.

Graças a você, Willy Fritz Gonser, eu hoje tenho uma respeitada carreira na Crônica Esportiva Mineira. Seja Narrando emocionado os feitos do Galo, seja dando minha opinião sobre Futebol ou outras coisas.

Graças a você, “mais completo do Brasil”, eu hoje tenho combinado minha atividade de Consultoria em Treinamento em Atendimento, Liderança, Call Center e Vendas a entretenimento. Porque aprender brincando é muito melhor!

Eu sou uma das raras pessoas que tem o CD de Gols do Willy. Nosso primeiro encontro presencial foi com o alemão mostrando-se desconfiado ao final do “Jogada de Classe”, capitaneado por Orlando Augusto, muitos anos atrás. Antes, em 2003, Álvaro Damião me convidou a imitá-lo em homenagem a seus 50 anos de Rádio no programa Bola Premiada, mas não tive contato presencial com ele.

O tempo foi passando a Willy foi percebendo que tratava-se de uma homenagem. E com muito respeito. Assim ele me recebeu com cordialidade do Troféu Guará em 2007. Nesta época, estávamos na Rádio Transamérica e fomos convidados para o evento.

Anos atrás, mais precisamente no dia 04 de Novembro de 2011, já com o alemão aposentado na Narração, tive uma honra inesperada. Ao chegar na porta da casa da minha (hoje) noiva, sintonizei na Rádio Itatiaia e estava acontecendo um programa Bastidores Especial com a presença do mesmo. E, pra minha surpresa, o João Vitor Xavier comentou que Willy é tão especial que é sucesso também na concorrente 98FM, se referindo ao meu trabalho como Willy Cover. E tive a honra suprema de ter no comentário do verdadeiro Willy: “ele é meu amigo”. Você, que me lê, não imagina o tamanho de minha emoção e alegria!

Ouça o momento exato ao 51:45

Pouco depois (21 de Novembro de 2013), um programa que jamais esquecerei: os amigos da Web Rádio Galo realizaram um programa em homenagem ao Willy e me convidaram para participar.

Willy foi extremamente carinhoso e simpático comigo, tanto antes do programa, durante e depois dele.

A pedido dos amigos da Web Rádio Galo, levei o alemão em sua casa, onde tive a oportunidade de homenageá-lo com a minha narração em 13 de Outubro de 2013, quando ele completava 77 anos e eu 13 de Rádio. Foi uma noite de muita alegria pra mim, pelo carinho que demonstrou comigo. Coisa que é rara, pois Willy sempre foi conservador e de opinião firme.

Willy sempre primou pela precisão na descrição do lance. Mas muitas vezes me vi chorando com suas Narrações aguerridas, especialmente quando eu não via o jogo.

É o recordista em transmissão de Copas do Mundo: 11.

Narrou o Brasil campeão nas Copas de 94 e 2002. Narrou o Galo campeão da Conmebol em 1992 e 1997. Narrou o gol 1000 do Atlético em Brasileiros. Era obcecado pelo noticiário esportivo. E como eu queria ter ouvido o Galo campeão da Libertadores e da Copa do Brasil em sua voz, alemão!

Abaixo uma homenagem do competente repórter Marcelo Bechler

Narradores Ênio Lima (Rádio Itatiaia), Rafael Leal (Rádio Jovem Pan Salvador) e Eduardo Madeira (Rádio 98 FM) homenageiam Willy Fritz Gonser

Sempre busquei homenageá-lo com muito respeito. E não fazer nada resvalasse em sua carreira íntegra. Nunca me passei por ele, mas sim sempre deixei claro ser uma homenagem. Inclusive com o bordão que usava “eu sou Eduardo Madeira e olha como eu pareço o Willy Gonser”. À medida que o tempo vai passando, a imitação vira cada vez mais homenagem e vai tomando personalidade própria.

Muito obrigado por tudo, Willy Gonser! Que Deus o receba de braços abertos. Conforto a sua família, também sempre tão carinhosa com meu trabalho.

Aí de cima, meu papai Milton e minha mamãe Joana lhe abraçarão e te agradecerão, por tudo!

Você simplesmente mudou a minha vida!

Muito emocionado,

Eduardo Madeira

E como muito carinho e muita responsabilidade, “Willy Cover”!

SOBRE NÃO MATAR O JOGO

Foto: Bruno Cantini / Clube Atlético Mineiro SOBRE NÃO MATAR O JOGO Por Eduardo Madeira 22/08/2017 E...

Leia mais

OBRIGADO, ARAANHAAAA!

Foto: Bruno Cantini / Clube Atlético Mineiro / Divulgação OBRIGADO, ARAANHAAAA! Por Eduardo Madeira 27/08/2017 Finalmente o...

Leia mais
  • Luiz Eduardo Monteiro

    Excelente Homenagem Xará! E que seu sucesso decole cada vez mais e mais! Grande abraço!!

    • emadeira

      Muito obrigado, grande xará! E qualquer coisa, me comunick!